Risco Mínimo

Como reduzir a incidência de acidentes graves em operações florestais? Neste mês, tema será discutido no 2º Encontro Brasileiro de RH e Segurança Florestal

Garantir a segurança dos colaboradores de toda a cadeia produtiva do setor de florestas plantadas é um grande desafio, envolvendo muito planejamento, pesquisa e inteligência na gestão. Para que operadores, mecânicos e outros profissionais envolvidos nas mais diversas operações (da silvicultura à colheita florestal), desempenhem suas funções em ambientes seguros, a redução máxima de riscos deve ser prioridade. Visando discutir a importância de uma gestão eficiente e atualizada, o 2º Encontro Brasileiro de RH e Segurança Florestal ocorre nos dias 25 e 26 deste mês em Curitiba (PR).

“Quando analisamos o modo com que a segurança é abordada no setor florestal, percebe-se que ainda se discute muito o comportamento das pessoas como principal fator no sistema de gestão de riscos. Embora as pessoas tenham um papel relevante, agir exclusivamente nelas não irá garantir um ambiente de trabalho livre de acidentes, especialmente de acidentes graves. A melhor maneira de tornar o ambiente de trabalho seguro é torná-lo de fato seguro, e não contar apenas com a postura adequada das pessoas, pois, por mais bem intencionadas que estejam, elas erram”, analisa Theófilo Militão, Coordenador de SSO Corporativo – Industrial e Florestal na Arauco.

Em sua palestra, “Gestão de Segurança Orientada à Eliminação de Acidentes Graves”, o profissional abre o quarto e último bloco de palestras do evento, que trará diversos cases de empresas florestais.  Para o palestrante, o cerne da questão é claro: se o indivíduo está inserido em um sistema que é tão inseguro a ponto de sofrer um acidente grave devido a um lapso de desatenção, o problema conceitual não é a sua postura, mas o próprio sistema.

“Depender exclusivamente do bom comportamento das pessoas é um sério risco, pois essa é apenas uma etapa do trabalho. Trata-se, na verdade, da última etapa: até que o profissional atinja o nível de maturidade necessário, até que complete a curva de aprendizado, ele precisa estar seguro, e a única forma de garantir isso é se o processo, em si, for seguro”, explica.

 

O 2º Encontro Brasileiro de RH & Segurança Florestal será formado por quatro blocos de assuntos: “O Perfil Do Profissional Florestal”, “Desafios na Gestão de Pessoas na Atividade Florestal”, “Segurança em Atividades Florestais” e “Programas de Segurança e Cases de Empresas Florestais”. A programação completa já está disponível no site.

 

Serviço:

2º Encontro Brasileiro de RH e Segurança Florestal

Data: 25 e 26 de fevereiro de 2017

Local: Curitiba, Paraná, Brasil

Programação: Clique aqui

Inscrições: Clique aqui

Contato: info@malinovski.com.br

Mais informações: http://rhesegurancaflorestal.com.br/ +55 (41) 3049-7888

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *